domingo, 8 de março de 2015

Uma Belo Monte no Rio de Janeiro: Por que os ambientalistas não protestam contra a Barragem do Guapiaçú?

O Governo do Rio de Janeiro vai construir uma barragem no Rio Guapiaçu. O projeto inundará 2 mil hectares e deve expulsar cerca de 3 mil pessoas, a maioria pequenos agricultores rurais e assentados da reforma agrária. A barragem ficará na região metropolitana do Rio Janeiro e deve abastecer o Comperj, um gigantesco complexo petroquímico licenciado pelo grande ambientalista Carlos Minc Baumfeld sem a definição de duas questões ambientais importantes: de onde viria o abastecimento de água e para onde iriam os efluentes industriais.

Uma vez construído o complexo petroquímico com autorização ambiental, o Governo do Rio de Janeiro precisa agora garantir o abastecimento de água ao monstro. O secretário do Ambiente do Rio, Alexandre Braga, que ocupa hoje o antigo cargo de Carlos Minc, já declarou que houve “erro de condução” no projeto porque os agricultores não foram ouvidos. Apesar dos pesares, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, apresentou o projeto à ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, no mês passado. A barragem custará R$ 250 milhões.

Veja um documentário produzido pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) sobre o barramento do Rio Guapipaçú:

O sindicato dos Trabalhadores e Produtores Rurais de Cachoeiras de Macau, onde ficará a represa, diz que na área são produzidos hortaliças e legumes para a região metropolitana do Rio de Janeiro. “A única coisa que sabemos fazer é plantar, o pessoal mal tem até a 4ª série. Se ficarmos sem a terra, vamos trabalhar em quê?”, questiona a agricultora Rosilene Brives Viana, que cultiva abóbora, quiabo e feijão.

Recentemente um grupo de atores da Globo, engajados e descolados, fizeram uma grande campanha nas redes sociais contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, na Amazônia (veja aqui). O projeto é duramente combatido pelo movimento ambientalista. Os ativistas dizem que a usina alagará uma área gigantesca e expulsará milhares de índios e outras pessoas menos importantes.

Ok, a barragem do Guapiaçu não expulsará nenhum índio. Eles já foram expulsos do Rio de Janeiro séculos atrás. Mas, por que os ambientalistas protestam contra barragens na Amazônia e aceitam barragens no Rio de Janeiro?

Foto: Valter Campanato/ABr

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...