sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Guardas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro barram criança de dois anos no parque. Motivo: ele carregava um balão de gás

Menino Gustavo portando o perigoso artefato
Uma criança de dois anos de idade foi abordada por uma equipe de segurança do Jardim Botânico do Rio de Janeiro ao entar entrar na Unidade de Conservação portando uma perigosa bexiga de gás vermelha. Gustavo havia sido atropelado por uma bicicleta momentos antes e ganhou o balão da mãe na tentantiva de acalma-lo, mas foi impedido de entrar no Jardim Botânico. “São regras da casa, bola é proibido aqui”, disse um dos guardas à mãe do garoto, Karla Prado. "Meu filho estava machucado e não queria desgrudar do balão. Afinal, que mal uma criança segurando um balão pode fazer à natureza?”, perguntou.

O Jardim Botânico explica que “proíbe a entrada de balões devido ao impacto que estes possam vir a provocar”. Diz ainda que “um balão solto poderia ficar preso a uma árvore, o que faria com que o trabalho da equipe de manejo arbóreo fosse interrompido para fazer a retirada dele, como já aconteceu diversas vezes.”

Na matéria original publicada no site do jornal O Globo há o comentário de um leitor que também foi admoestado pelos fiscais do Jardim Botânico. "Há muitos anos eu caminhava lá com minha filha pequena e ela ficou curiosa com uns frutos caídos no chão. Estava abaixando para pegar um e dizer que era cajá, quando me assustei com um apito insistente e um guarda correndo. Pensei que estivesse acontencendo alguma coisa séria. E estava e era comigo. Eu não podia apanhar um fruto do chão para mostrar à minha filha. É contra o regulamento", diz Sérgio Fonseca no comentário.

Veja matéria original no site do O Globo: Jardim Botânico barra menino de dois anos no parque. Motivo: ele carregava um balão de gás

A foto é de Karla Prado, mãe o pequeno "criminoso ambiental".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...